Make your own free website on Tripod.com

   T  O  U  L  Õ  E  S                                      

Esta página  é para dar a conhecer uma Aldeia raiana que se situa no concelho de Idanha-a-Nova,distrito de Castelo Branco junto á fronteira com Espanha.Estas Aldeias geralmente só são visitadas pelos senhores do poder na altura de eleições,mas todos os que são naturais ou têem raízes nestes pequenos lugares adoram-nos.Tudo o que vou expor nesta página foi o que encontrei,ao fim de alguns meses,na Internet mas vou continuar a fazer as minhas investigações e tudo o que for encontrando vou colocando na página e se alguém tiver mais alguns dados poderiam enviar por e-mail que eu com todo o gosto os colocarei de imediato.

                                                                                                

 

 

 

 

Imagens da Freguesia
Informações Úteis
Lendas e Costumes
Ordenação Heráldica

 

 

Toulões é uma pequena Aldeia de gente afável e trabalhadora,que sempre viveu com dificuldades e que desde muito cedo se dedicou ao contrabando de cafe para poderem melhorar a sua qualidade de vida o contrabando era principalmente de café,era um trabalho de alto risco e muito duro percorriam de Verão e Inverno todos os trilhos até Espanha com cerca de 20Kg de café ás costas, além de terem de enfrentar as adversidades do terrenos tinham ainda de tentarem não serem apanhados ou pela Guarda Fiscal ou então pelos Carabineros(policia espanhola),depois com os anos a maioria deixou o contrabando e emigraram para França a procurar uma vida melhor,a principio iam clandestinamente(assalto) e tinham que percorrer a maioria do tempo a pé. Aldeia é muito agradável tem bons acessos é um óptimo local para descansar.A Freguesia de Toulões é formada pela aldeia de Toulões e o lugar de Carriçal. 

                                                           

O Escritor e Sociólogo Manuel Antunes Marques nasceu a 4 de Março de 1935 na Freguesia de Toulões,e é Licenciado em Ciências Sociais e Politica pelo I.S.C.S.P. de Lisboa.As obras escritas por Manuel Antunes Marques são;"Os Lusos","A Alma Poética Benfiquista","Amália,Diva do Fado","Etnografia de Toulões"-Usos e Costumes de uma Aldeia da Beira Interior, "Viagem a Castelo Branco","O Porto","O Leão" e o seu último livro lançado em 12 de Agosto de 2003"Cem Anos de António Aleixo". 

Deixo também aqui alguns extractos de um livro(que eu desconhecia a sua existência) escrito pelo senhor Francisco Marcelino nascido em 1918 este livro foi editado pela Paróquia de Santo António de Toulões e o nome do livro é "Recordações" e foi publicado em 01 de Junho de 2001 e já vai na 2ª edição.Neste livro pode-se ler entre muitas coisas como se fazia a sementeira nessa altura ganhava-se entre 50$00 a 60$00(mês)trabalhava-se de sol a sol.Havia grandes Invernadas e os trabalhadores usavam,para se defenderem da chuva e do frio,sacas  pelas costas,safões de saca ou pele de cabra e nos pés albarcas de borracha,tamancos de pau e muitas vezes descalços,neste livro pode-se também ver os nomes e algumas das profissões existentes na época:3 Ferreiros(José Guardado Campos:José Heleno:António Joaquim Carrilho)2 Alfaiates(Joaquim Rolo Guardado"coxo" e José de Almeida)5 Carpinteiros(Joaquim Moreira Beirão:Domingos Beirão:Diogo Beirão:Francisco Antunes Bargão"Chico Carpinteiro" e José Diogo)4 Sapateiros(Chico Sapateiro:Joaquim Almeida"O Ferro":José Tomás"Sapateiro" e o Ti Lourenço)2 Barbeiros(António Alves leitão"velho Leitão" e Manuel Alves Leitão"Filho")4 Caçadores(José Jacinto"Ti Bata":António Moreira"Ti Barata":Domingos Xavier"Ti Cavalinho" e Pedro da Lousa"com a arma de carregar pela boca mais ou menos pelo ano de 1927")3 Fornos de cozer pão(Ti Bata:Velha Maria Pires:Ti José Guardadinho"ainda hoje existem alguns a cozer pão")1 Porqueiro com porcos do Povo 1 Cabreiro com cabras do Povo 4 Pedreiros(Ti manuel Antunes:Ti A.José Marques:Ti A.Leitão e filhos e M.Romão e filhos 1 escola,1 Lagar de azeite,2 Fàbricas de Moagem  e 1 Padaria.Segundo este mesmo livro Francisco Marcelino recorada ainda um velho ditado"antes do Rei D.João IV ter deixado estas terras a Toulões,já daqui tinha ido ouro para a coroa de D.João III..."

                                                      O que dizem alguns historiadores sobre a origem de TOULÕES

O Topónimo "Toulões" é indicador da antiguidade desta Freguesia,o povoamentoé certamente anterior á Nacionalidade.A sua origem está relacionada com a existência neste local de uma"Villa Tellinis",de um tal"Tellus",nome pessoal muito comum e sobrevivo à queda da antroponímia germânica,pois é o mesmo que o antigo"Toloês"de "Tolões".Apesar de alguma falta de consenso,julga-se que o nome tem como origem a proximidade da ribeira de Toula,que tem nascente na zona de Salvaterra do Extremo.Há quem defenda que a presença humana se tem verificado neste local,pelo menos desde o repovoamento egitanense do século IX para o X.Lusitanos e Romanos passaram ou tavez mesmo tivessem vivido no que é hoje a Freguesia de Toulões.Na zona da ribeira da Toula encontraram-se lápides romanas e numa delas estava a seguinte inscrição"Flaco,filho de Gaio,mandou fazer este monumento para si e para Casa,filha de Arau"todos estes nomes são de origem romana e Lusitana.Pensa-se também que a Via Romana(Braga-Mérida)possa ter passadoem ou junto ao que é hoje a freguesia de Toulões,apesar de não haver vestigios,mas eles existem em freguesias muito próximas como é o caso de Alcafozes,Salvaterra do Extremo e Segura.Toulões foi inicialmente um curato da Freguesia de S.Miguel de Monsanto,cujo prior apresentava o cura;contudo,a freguesia foi extinta e anexada à de Zebreira,tendo com esta passado para o concelho de Salvaterra do Extremo.A freguesia de Toulões foi extinta durante um pequeno periodo,sendo restaurada por Decreto-Lei de 5 de Março de 1951.

"Atendendo ao que representou a maioria absoluta dos chefes de família,eleitores,com residência habitual nas povoações de Toulões,freguesia de Zebreira e Carriçal,freguesia de Salvaterra do Extremo,ambas do concelho de Idanha-a-Nova,no sentido de ser criada freguesia com sede na primeira das referidas povoações;considerando que a circunscrição a criar,com uma população de cerca de 1000 habitantes,já possui uma paróquia religiosa e possui igreja,escola e cemitério próprios;Considerando que o lugar de Carriçal dista 15 quilómetros da sede de freguesia de Salvaterra do Extremo e apenas 4 quilómetros da povoação de Toulões e que esta se encontra a cerca de 10 quilómetros da sede de freguesia de Zebreira;considerando que que os referidos lugares têm desenvolvimento agrícola e pecuário.Considerando que tanto as freguesias de Zebreira e Salvaterra do Extremo como a nova freguesia ficarão a dispor de recursos indispensáveis para satisfazer os seus encargos;considerando que se verificar todas as demais condições referidas no Artº9º do Código Administrativo e se cumpriram as formalidades exigidas pela mesma disposição legal;Usando da faculdade conferida pela 1ªparte do Artº109º da Constituição,o Governo decreta e eu promulgo,para valer como Lei,o seguinte:

Artº1º-É criada no concelho de Idanha-a-Nova,distrito de Castelo Branco,a freguesia de Toulões,com sede na Povoação do mesmo nome e área de 4,348 hectares,sendo 2,304 a desanexar da freguesia da Zebreira e os restantes 2,044 da freguesia de Salvaterra do Extremo;

Parágrafo único-A freguesia de Toulões é classificada de 2ªordem.Artº2º-Os limites da nova freguesia são fixados por uma linha que,partindo da Barroca das Bruxas,noextremo norte,segue o curso da Ribeira de Arades até á Barroca do Vale do Grou;aqui toma a direcção nascente-poente até encontrar o caminho Torre-Toulões,continuando pelo mesmo até encontrar a Ribeira da Toula e depois,por esta até á Ribeira dos Amarelos;a partir desse ponto segue em direcção nordeste-sudoeste,passando,sucessivamente,por malhão do Monte-Velho,alto dos Malhadis,malhão do Monte Fidalgo e malhão do Vale de Cardas;toma seguidamente a direcção,sudoeste-noroeste até ao cruzamento do caminho de Toulões-Alcafozes com o Ribeiro de Aravil;por último,dirige-se para norte,passando pela Barroca do Arrebentão e cume da Serra da Morracha até encontrar a referida Barroca das Bruxas,tudo de harmonia com os elementos juntos ao respectivo processo."

Paços do Governo da República,5 de Março de 1951                                                                                                                                        Carmona